11 janeiro 2012

Paz


Todo mundo deseja, almeija a paz... Mas você já parou pra pensar na paz, no que ela significa? Quando alguém nos pergunta, ou nós mesmos, o que é paz, acho que é quase que automático responder: é o contrário da guerra, ou algo do tipo. É claro, temos uma visão de paz na nossa cabeça bem mais ampla que isso, mas essa resposta comum, veja o que ela nos mostra... É como se as pessoas dessem mais importância pra "guerra" do que pra paz. Talvez isso seja justificado pelo verdadeiro caos no qual estamos tão mergulhados, chamado sociedade.
O que quero dizer é que paz é mais facilmente definida como ausência; ausência de conflitos, maldade, etc, tornando-se, assim, calma, serena, tranquila. Talvez, a princípio, a paz seja basicamente isso, já que na maioria das vezes pensamos em paz num sentido muito amplo, como paz entre nações, governos, etnias, etc.

Mas o que eu acho muito mais importante e o que quero falar aqui (depois desse texto todo, rs), é a paz pessoal.
Porque, pense comigo: como vamos chegar a uma paz integral se não tivermos a nossa própria paz? Isso mesmo, soou como se "paz" fosse diferente pra cada pessoa. E é.
Como eu disse antes, muita gente pensa em paz num sentido muito amplo, e acaba achando que ela é uma só, igual para todos; mas não é bem por aí... Olhe ao redor, vivemos num mundo de diferenças, as pessoas pensam diferente; visões políticas, religiosas, humanistas, enfim, diferentes. Pra um raciocínio bem básico, e de novo, amplo, tomemos de exemplo uma guerra: a "paz" para um lado é exatamente o inverso da "paz" rival.
 
A disciplina budista, por exemplo, é fundamentada em eliminar todo tipo de sofrimento para se chegar à paz plena, por meditação e contemplação. Religiões cristãs, por sua vez, pregam a oração e práticas de acordo com sua doutrina. É a dita "paz interior", falando espiritualmente.


Bom, espiritual ou não, essa paz consigo mesmo é necessária, e creio que não há uma prática "mais certa" para se encontrar sua própria paz, por isso acredito que deve haver acima de tudo respeito, e a consideração da máxima: o importante é estar em paz, não importa onde ou como.

Por isso, paz é no fundo tão difícil de definir; ela é relativa, assim como nossas ideias, nossas vontades, nossos costumes... Mas ao mesmo tempo, meio que contraditoriamente, não deixa de ser aqueles conceitos vagos que todo mundo dá. E no fim, parece fácil chegar a uma paz comum, depois que se pensa nisso. :)

Sem comentários ainda

Postar um comentário

Critique, elogie, pergunte, recite um poema... enfim! O espaço abaixo é todo seu!

Seja coerente com o assunto global da postagem ou do blog. Não faça comentários de má fé ou propaganda de algo que não tem relação alguma com a postagem. Para assuntos outros, entre em contato com o autor através dos links disponíveis.
Os comentários são sujeitos a moderação.