09 junho 2011

Você tem medo de morrer? E de viver?


Medo é uma coisa muito relativa, isso é, muita gente relaciona medo só à coisas aterrorizantes ou que apresentam risco iminente, etc.
Mas não é desse medo que venho falar aqui hoje; o título do post já mostra bem onde eu quero chegar.
Bom, psicólogos explicam que a mente humana tende, por naturalidade, a evitar o que não é de seu conhecimento, e algumas pessoas acabam desenvolvendo receio (por expectativa de um possível desconforto) de experimentar tal coisa nova, e até sentem desconforto só de tocar em determinados assuntos.

Estamos falando basicamente de pessoas que não arriscam. Bom, o post começou com uma cara séria, mas não é nada disso...
Criar expectativas demais, definir tudo sobre você a ponto de simplesmente não mudar por causa de seus princípios... Isso é como criar um casulo que isola você de todo o esplendor do mundo.
Oras, a vida é uma só! Que graça tem se conformar com tudo sempre da mesma forma, sem aceitar novas ideias, ou até coisas que sempre foram da sua realidade, só que por medo, você nunca quis?
Aí também tem a questão do respeito. Neguinho se diz ético e respeitador, mas na grande maioria dos casos, não respeita várias ideias porque não as conhece; mas também não é conhecer a fundo, mas sim enxergar o "outro lado" da história. Enfim, conformado com os seus ideais, ele não aceita e nem sequer tenta compreender os outros.

No fim, o que realmente conta é o quanto você viveu, o quanto riu, chorou, aprendeu, se machucou, amou, etc. e não o seu status, ou se seguiu as regrinhas direitinho. E me diz: o que uma pessoa ganha se privando de viver, isso é, de desfrutar do mundo ao máximo?
Das poucas coisas que sabemos sobre a vida, a mais certa é que: morremos. Então, como já disse o Chorão:
"Você não pode se fechar para o mundo por medo de se machucar, se não você vai se machucar por não viver."
Então eu digo: Tudo bem ter medo de morrer. Eu tenho medo de morrer... Mas de viver? Ah vá!
Numa visão mais bruta: A gente vai morrer mesmo, então por que sairmos ilesos?

Falei. ;)
Tá, mas tenham bom senso; não tô dizendo pra você deixar o aconchego de seu lar e de sua família pra sair anarquizando geral.
Só pense nisso e pense sobre a vida, vá atrás do que realmente vale a pena, e o que não vale, ignore, quebre regras, se relacione com pessoas pelo seu caráter e não pelo status, e enfim, resumindo muitas outras dicas: viva!

Sem comentários ainda

Postar um comentário

Critique, elogie, pergunte, recite um poema... enfim! O espaço abaixo é todo seu!

Seja coerente com o assunto global da postagem ou do blog. Não faça comentários de má fé ou propaganda de algo que não tem relação alguma com a postagem. Para assuntos outros, entre em contato com o autor através dos links disponíveis.
Os comentários são sujeitos a moderação.